terça-feira, 23 de setembro de 2008

Soneto do Ralado

Há muito estava com vontade de fazer um blog. Primeiro fiquei pensando no que, exatamente, eu gostaria de postar. Essa dúvida me segurou por meses e terminei resolvendo pensar em um nome. Outra dúvida enorme e, começando a me decepcionar comigo por me achar uma pessoa bem decidida e firme nas vontades. Feito isso, a ultima dúvida foi a: O QUE POSTAR PRIMEIRO?

Confesso que ainda tô cheio de dúvidas, receios e, só começando que vou acostumar com esse ambiente. Um mundo novo sempre deixa dúvidas. Configurações, cores, perfil, interesses, fontes, ainda não sei exatamente como fazer tudo mas aos poucos vou descobrindo.

Como dito na descrição, nada melhor que começar o blog com a coisa que me deixa mais orgulhoso e mais feliz nessa vida, que é ter tido a sorte de encontrar e poder compartilhar o amor com a minha companheira.

Estamos com data marcada para o casório e aos poucos vamos comprando algumas coisas para a nossa casa que ainda nem existe. Mesmo sem casa, já temos a cama, o fogão e algumas coisas como roupa de cama, pratos, taças de vinho, panelas. Acordando hoje, de férias, pensei como seria bom se tivesse a companhia dela para melhorar meu dia (companhia que não seria possível por causa do trabalho dela). É então que venho para o computador e dou de cara com um e-mail dela e penso: "Que lindo! Transmissão de pensamento, eu pensando nela e ela me escreve". Esperando um e-mail sobre amor, saudade ou algo do gênero, me deparo com um e-mail sobre um RALADOR DE QUEIJO que vimos na casa do meu primo e gostamos. Que emoção a dela ter encontrado o ralador de queijo, e EU?

Respondi pra ela em forma de Soneto, aproveitei que tava com um ótimo senso de humor e comecei uma brincadeira que terminou ficando legal:

Soneto do Ralado

Você é tudo que tenho de mais sagrado.
Você é maior amor que tenho em minha vida;

És a Luz no fim do túnel, minha única saída.
Você me deixa feliz até tratando de queijo ralado.

Uma noite completa com macarrão...

Na mesa uma garrafa de vinho aberta;
As taças, como uma poesia certa,
Deixam transbordar o universo da paixão.

Como sobremesa, um beijo é roubado...
Arrebata meu coração como uma chacina,
Seria que isso é algum tipo de fardo?

Parece mais a certeza da minha sina,

Que homem, me faz o mais felizardo:
Viver a vida ao lado dessa menina.




e assim começo.... ainda nos veremos mais por aqui.

5 comentários:

Até virar borboleta... disse...

Eu estou taaaaão orgulhosa!
Tenho certezqa que já era p/ tu teres aberto um blog há tempos, e não um fotolog. Apesar de ter um grande talento para fotos, te encontras mesmo é no mundo das palavras.
Portanto, passa teu recado, "sábio-áspero". Estarei sempre lendo.

Giovana disse...

Legal, gostei!
Vou ler sempre (nem precisava dizer isso, hein?).
Bjos!!

Maira disse...

Ah Xande, que bom ver teu blog feito.. Sabe que vou passar sempre por aqui né? =)
Ah, adorei o soneto.. haha, tinha que ser tu mesmo..

Beijo bem grande =*

Filipe Aquino disse...

Mais importante que o soneto é tu comprar logo esse ralador de quejo, muleke!

E mais importante ainda que você comprar esse ralador, é jogarmos tênis logo. Domingo vou ter prova e nem dá.

acho que sim, penso que não disse...

Mis importante que comprar o ralador, é me convidar pra próxima macarronada! :B